1.3.09

Sensação de verdade

O fato de a verdade ser relativa não diminui seu valor, porque nós temos a ideia de verdade. E isso é importante, já que essa “ideia” é uma sensação. Eis o segredo da vida! Viver é sentir! O sentido da verdade corresponde ao que eu sinto. Por isso, não existe verdade, existe uma sensação de verdade. O mesmo se pode arriscar dizer: não existe vida, existe uma sensação de vida. Sem querer dar crédito a Descartes: “Sinto, logo existo”. Dói aos tímpanos da tradição racionalista ouvir coisa assim.

Afinal, a tradição racionalista prioriza a razão (“logos”) em detrimento da paixão (“pathos”). Não é por acaso que, volta e meia, vem à baila o velho hábito de manter o controle através da razão. Já se esqueceu, infelizmente, que o próprio movimento filosófico que enfatizava a explicação racional da vida recebeu apelidos metafóricos bastante distantes de uma racionalidade insensível, como “Luzes” e “Ilustração”. Ambas expressões guardam em seu sentido, momentos memoráveis de quando a humanidade vivia a aurora de um novo tempo, onde o passado foi reconhecido como “Trevas” diante do lúmen de novas experiências, que embora nascidas no crepúsculo dos séculos escuros, davam a sensação da iminência de uma nova era. A luz era o sol que dispersava a neblina da ignorância. Pura sensação de verdade! Rejeitaram o “a priori” do establishment em prol do sentimento de viver diferentemente. Apostaram na sensação. Afinal, a razão foi, antes de tudo, uma alienação, uma ilustração, uma luz, um sentimento. Era, pois, um “a posteriori”, não um “a priori”. Já nasceu com uma intenção: desejar um requiescat in pace para o velho mundo, o velho sentimento. A velha sensação de verdade.

Ontem, hoje e sempre. Tudo foi, tudo é, tudo será sensação.


Marcadores: , ,

4 Comentário(s):

  • At 1 de março de 2009 16:02, Blogger Roger said…

    Razão e sentir devem na medida do posível andar de mãos dadas.

     
  • At 2 de março de 2009 18:18, Anonymous edson marques said…

    Viva, a Razão.



    Quem cai por amor à vida, cai sempre para cima!


    Abraços, flores, estrelas..

     
  • At 2 de março de 2009 18:37, Blogger Rubinho Osório said…

    Razão e emoção são dois lados da mesma moeda: o ser humano. Não existe moeda com um só lado, e aquelas que tem duas "caras" ou duas "coroas" são falsas. Como falso fica o homem que se firma só na razão ou só na emoção.

     
  • At 5 de março de 2009 09:03, Blogger Tamara Queiroz said…

    Eu gosto quando a razão e o sentir se unem e geram frutos. Saboreio os frutos, como uma criança sorve uma manga madura.

    ...
    É pena.

    Tantos andantes não saber sentir. Apenas copiar. Nem seus sentimentos nem eles são de verdade. HUNF.

    B-jos

     

Postar um comentário

<< Home