12.4.07

Utopia

Está em extinção a palavra utopia. Afinal, temos descoberto, a cada dia, que é mais fácil ser cínico do que utópico. Há resistências, mas a tendência geral é de um esfriamento daquele comprometimento ideológico com o bem-estar da coletividade. A raça sujeito utópico fica rara entre muitos filósofos de hoje, mais preocupados com a lógica do que com o inexplicável, pois se calam — leia-se: não se interessam — diante daquilo que não sabem (Wittgenstein). A palavra utopia foi transformada em sinônimo de quimera, fábula, ou ficção. Assassinado está o sentido do não lugar que aponta para um ideal que de tão sublime vale a pena tentar construí-lo aqui e agora. A ironia, então, passa a ser regra filosófica e ninguém, por favor, não ouse falar em paraíso.

Marcadores: , ,

7 Comentário(s):

  • At 12 de abril de 2007 12:42, Blogger O Lobo said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 12 de abril de 2007 12:44, Blogger O Lobo said…

    A utopia na minha opinião existe pois se alguém a imagina ela passa a existir... nem que seja só para essa mesma pessoa!

    A utopia não poderá existir na realidade mas podemos aproximar-nos de um mundo bem melhor se assim o quisermos, tendo ideias utópicas ou pelo menos ansiando por algo bem melhor que aquilo que hoje existe...

    Anseia sempre por algo melhor e pode ser que um dia alcances algo que nunca sonhaste alcançar...

     
  • At 12 de abril de 2007 13:57, Blogger Alysson Amorim said…

    Grande Felipe,

    Sinto que em mim a utopia jaz moribunda. Abaixei minha espada quixotesca e estou prestes a embanhá-la.

    Seu texto vem em boa hora. Lembrar a existência (e a importância) da utopia é um primeiro passo para revigorá-la.

    Abraços fraternais.

     
  • At 13 de abril de 2007 18:17, Blogger Entre linhas said…

    Utopia não é mais que um conceito empírico...

    Bom fim de semana

    Bjs Zita

     
  • At 13 de abril de 2007 21:06, Anonymous Edson Marques said…

    Você tocou no ponto!


    Vamos construir a Utopia.

    Chega de cinismo.

    (Para um existencialista-marxista como eu, isso está sempre muito claro...)

    Abraços, flores, estrelas.

     
  • At 14 de abril de 2007 15:23, Blogger elsa nyny said…

    Olá Felipinho!!!

    Táva com saudades de você!!
    ahahaha (é assim em brasileiro, né?? Que legal!!)

    Olha a utopia é um ser que não é, que existe sem existir...

    beijoquinhas enormes pa ti!!!

     
  • At 17 de abril de 2007 18:13, Blogger Felipe Fanuel said…

    Lobo,
    Realmente, como disse, há quem seja utópico — inclusive eu me incluo neste grupo —, mas, convenhamos, somos a exceção.

    É justamente essa nossa resistência que nos faz acreditar na possibilidade de ainda podermos ser utópicos.

    Forte abraço.


    É isso aí, Alysson!
    Ainda há esperança para a utopia. Todavia, é sempre bom reconhecer nossa tendência de abaixar a espada.

    Abração.


    Cara Zita,
    Vê a mudança que esta palavra passa a ter quando seu sentido já não é mais o mesmo.

    Bjs


    Edson,
    É sempre bom saber que há gente disposta a (re)construir a utopia.

    Grande abraço.


    Ei Elsa,
    Saudades também. rsrsrs é desse jeito mesmo em português "brasileiro".

    Tudo é e não é ao mesmo tempo, essa é uma interpretação utópica da vida.

    Beijos.

     

Postar um comentário

<< Home