4.8.08

O jovem está na igreja. E daí?

O Instituto Datafolha divulgou semana passada uma pesquisa sobre os jovens brasileiros com idade entre 16 e 25 anos. Um dado chama a atenção: 39% dos entrevistados declararam participar de movimentos ligados a alguma igreja. Além do mais, oito em cada dez jovens consideram a religião como importante ou muito importante. Ou seja, a fé é um dos principais pilares éticos da juventude no Brasil de hoje.

O que temos feito para que tantos rapazes e moças estejam se lembrando de seu Criador nos dias da sua mocidade? A resposta é simples: Deus está em alta. Somente 1% se assume como ateu. Nota-se também um completo desinteresse da moçada por outras organizações, como partidos políticos, sindicatos ou entidades estudantis.

É preocupante, no entanto, que se esteja perdendo o fervor de se fazer alguma coisa em prol da transformação social. Afinal, trabalhos voluntários ou comunitários interessam a apenas 24% dos jovens entrevistados, assim como organizações não-governamentais (ONG’s), que correspondem a apenas 6% da preferência de quem opinou.

O fato de o jovem estar na igreja deveria significar um novo tempo em prol de uma sociedade mais justa. Foi assim com Jesus. Aos doze anos, ele estava no templo, crescendo “em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e dos homens”. (Lc 2,52) Mas sua vida mudou quando ele leu o seguinte versículo do profeta Isaías: “O Espírito Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.” (Lc 4,18-19) O jovem Jesus, daí em diante, iniciou seu ministério entre pobres, cativos, cegos e oprimidos, levando-lhes esperança.

Bom seria se todo jovem pudesse dizer como Jesus que o Espírito do Senhor está sobre ele para fazer tudo o que o Mestre fez. Imaginem se as igrejas estivessem repletas de adolescentes e jovens querendo sair por aí para mudar o mundo, não como jovens que “se cansam e se fatigam”, mas como “os que esperam no Senhor”, que “renovam as suas forças, sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam”. (Is 40,30-31)

É difícil sonhar olhando para trás!

Marcadores:

10 Comentário(s):

  • At 4 de agosto de 2008 15:46, Blogger Juber Donizete Gonçalves said…

    Felipe,

    E daí? E preciso começar e fazer. Resistências sempre terão, as primeiras serão da "liderança sênior" nas igrejas. Mas e daí? Não foi fácil também para outras gerações. Jeremias, João Batista, apóstolo Paulo e o próprio Jesus, foram taxados de títulos horríveis, expulsos, incompreendidos. Não será fácil. Mas o "campo" (mundo) é enorme, como disse João Wesley, (que também teve problemas com a Igreja Anglicana) e disse ao deixar sua paróquia e se lançar as pregações ao ar livre: Agora, o mundo é minha paróquia".

    Parabéns pela postagem.

     
  • At 4 de agosto de 2008 20:04, Blogger Marlene Maravilha said…

    "Deus está em alta". Adorei. Mas o assunto é sério e foi muito bem abordado, como sempre. Tenho esperancas para um mundo melhor com os jovens de hoje.
    Parabéns!
    Tenho uma bencao para compartilhar contigo!!!
    beijo grande e fica com Deus!

     
  • At 5 de agosto de 2008 08:45, Blogger bete pereira da silva said…

    Querido, o jovem está na igreja, sim. Mas está preocupado com louvorzão, encontrão,noite da pizza, tarde do sorvete, exibições de números de dança ao som de instrumentos musicais caríssimos e de última geração. No meu tempo, saíamos às ruas com um violaozinho,uma caixinha de som e uns folhetinhos, mas saíamos. Fui de uma igreja onde, após o culto dos domingos, nós os jovens ainda nos reuníamos para orar. Hoje a igreja tem sido apenas um agradável ponto de encontro, clube dos amigos de Jesus. Infelizmente.

     
  • At 5 de agosto de 2008 11:09, Blogger (-V-) said…

    Paz Felipe,

    Ótimo texto. Deverás a "juventude cristã" atual prefere ir num "show gospel" do que ajudar a viúva e o órfão.
    Mas será que eu que vejo isso tenho feito algo? Isto me leva a refletir quão realidade na minha vida é a verdade que prego.

    No Amor e na Verdade que nos une,
    Vini
    (-V-)

     
  • At 5 de agosto de 2008 12:13, OpenID celebraii said…

    É VERO!

     
  • At 5 de agosto de 2008 23:30, Anonymous Amigo Careta said…

    Nem imaginava que Deus estava em alta, pelo menos não é essa realidade que vejo por aqui.

    As baladas, luzes, "tuntz tuntz" e mantras nas igrejas têm tido resultados satisfatórios pelo jeito.

    [Não conhecia seu blog. Gostei! Vou voltar mais vezes]
    Abraço.

     
  • At 6 de agosto de 2008 21:31, Blogger Tamara said…

    A Tamara não está na igreja. E daí?

    Onde ela está? Está no mundo sendo o bem.

    Eu ADORO a adversidade.

     
  • At 7 de agosto de 2008 10:16, Blogger Alysson Amorim said…

    Felipe,

    Sua inquietação é também a minha e de um outro punhado de gente.

    Em um texto recente e muito próximo ao seu o Paulo Brabo afirma ser a Igreja um eficiente sistema de consumo. Talvez isso explique o porquê de tantos jovens sentirem-se irresistivelmente atraídos pelos círculos eclesiásticos.

    Na conclusão, o Paulo provoca:

    "Em janeiro de 1996 Walter Isaacson perguntou a Bill Gates a sua posição sobre espiritualidade e religião. Sua resposta entrará para os anais da infâmia – e não a dele. “Só em termos de alocação de recursos, a religião já não é coisa muito eficiente. Há muita coisa que eu poderia estar fazendo domingo de manhã”. Em resumo, o que dois mil anos de cristianismo institucional ensinaram ao homem mais antenado da terra é que religião é o que os cristãos fazem no domingo de manhã.

    Só não ouse criticar o cara por sua visão rasa de espiritualidade. Fomos nós que demos essa impressão a ele, e só a nós cabe encontrar maneiras de provar que ele está errado.

    Invente uma."

    Faço coro com vocês. Estou exausto.

    Abraços.

     
  • At 7 de agosto de 2008 21:06, Blogger Janete Cardoso said…

    Verdade... hoje, o jovem traz o mundo para a igreja, mas se recusa à levar a igreja para o mundo.

    "Vendo ele as multidões, tinha grande compaixão delas, porque andavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não tem pastor.
    Então disse aos discípulos: A seara é realmente grande, mas os ceifeiros são poucos." Mt 9:36 e 37

     
  • At 7 de agosto de 2008 21:06, Blogger Janete Cardoso said…

    Verdade... hoje, o jovem traz o mundo para a igreja, mas se recusa à levar a igreja para o mundo.

    "Vendo ele as multidões, tinha grande compaixão delas, porque andavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não tem pastor.
    Então disse aos discípulos: A seara é realmente grande, mas os ceifeiros são poucos." Mt 9:36 e 37

     

Postar um comentário

<< Home