18.6.08

Teologia errática

Quero ser um teólogo do erro, do tropeço. Adão, o primeiro humano, não acertou: ele deixou o mundo dos certinhos para trás quando se deliciou do não-deliciável. Se há uma possibilidade de dialogar com o theos que se irrompe na transgressão e subversão, sinto-me teologando no interlúdio, na fissura, do choque entre o sagrado e o profano. Quererei mais ausência que presença, imanência que transcendência, finitude que infinitude, incerteza que certeza, dúvida que conclusão, pergunta que resposta, hipótese que teoria, provisoriedade que definitividade, poesia que ciência, fé que religião, esperança que verdade, paixão que compromisso, amor que crença, abismo que fundamento... E por aí a gente vai errando. Afinal, toda teologia é errada, já que o theos nunca pode ser logado.

Marcadores:

11 Comentário(s):

  • At 18 de junho de 2008 14:16, Anonymous Lucas Ferreira de Paula said…

    Oi Felipe, eu tb sou adepto do erro, em certos casos e fã de uma heresia...rs, inclusive no meu antigo blog escrevi um texto fazendo apologia à heresia...rs

    Gostei da sua visita e da sua participação no meu blog, volte sempre...abçs

     
  • At 18 de junho de 2008 15:20, Anonymous edson marques said…

    Felipe,


    Então, não há link para Deus?!

    Culpa da rede em que caímos, será?

    Teu post está genial.



    Hoje eu falo de uma casinha pequenina, um canteiro de gerânios e um vasinho de jasmim...


    Abraços, flores, estrelas!

     
  • At 18 de junho de 2008 23:41, Blogger Roger said…

    Por isso a necessidade de imitar os samaritanos. De abraçar os gentios. De brindar com publicanos e pecaodres. E dialogar com budistas, islâmicos e espíritas. Dialogar... Pois errados somos todos. Mas evitemos os treslocados que se dizem irmãos.

    Abrçs fraternos,

    Roger

     
  • At 22 de junho de 2008 19:29, Blogger william said…

    sensacional, vi o texto no pavablog mas tinha que comentar aqui, erráticos podemso viver apenas na tentiva de acertar, certos de que não acertaremos.. abçs
    PS: lembro de vc vagamente do STBSB (eu sei ke vc estudou lá) saiu kdo mesmo?

     
  • At 22 de junho de 2008 20:05, Anonymous Cadu said…

    Aloha brother!

    Um amigo seminarista me sugeriu seu blog, olhei, li e gostei.
    Vida longa aos seus textos-esporte-fino!

    Cadu
    www.intelectualorganico.blogspot.com

     
  • At 23 de junho de 2008 00:28, Blogger Tamara said…

    Quererei mais equilibrio!


    B-joletas com aroma de flor-de-laranja

     
  • At 23 de junho de 2008 21:40, Blogger Felipe Fanuel said…

    Caro William,

    Formei em 2006 no curso de teologia do Seminário do Sul.

    Obrigado por passar aqui!

    O mesmo digo para o Lucas e o Cadu, pois é a primeira vez que leio uma contribuição de vocês.

    Sejam sempre bem-vindos!

     
  • At 26 de junho de 2008 03:24, Blogger william said…

    po.. tu é amigo do cadu, do queres e do meu amigão davi consequentemente agora é meu tbm ehhe abçs

     
  • At 27 de junho de 2008 13:01, Anonymous Max Walter said…

    “O que é um verdadeiro criador, um verdadeiro artista? É alguém capaz de criar formas novas, alguém capaz de romper com o que chamamos de academicismo, com aquela arte entediante que consisti em repetir fórmulas. O verdadeiro artista, liberta a arte destas fórmulas, é um dissidente, um rebelde, e só há progresso se houver rebeldes. Em todos os domínios, na religião, na ciência, na arte, precisamos ao mesmo tempo de instituições e de pessoas capazes de se rebelar e resistir contra elas...”


    Jean – Claude Guillebaud (filósofo) em entrevista à revista Cult. Edição N° 122

     
  • At 27 de junho de 2008 13:03, Blogger Zarat said…

    “O que é um verdadeiro criador, um verdadeiro artista? É alguém capaz de criar formas novas, alguém capaz de romper com o que chamamos de academicismo, com aquela arte entediante que consisti em repetir fórmulas. O verdadeiro artista, liberta a arte destas fórmulas, é um dissidente, um rebelde, e só há progresso se houver rebeldes. Em todos os domínios, na religião, na ciência, na arte, precisamos ao mesmo tempo de instituições e de pessoas capazes de se rebelar e resistir contra elas...”


    Jean – Claude Guillebaud (filósofo) em entrevista à revista Cult. Edição N° 122

     
  • At 2 de julho de 2008 07:00, Blogger Janete Cardoso said…

    Resolvi buscar em apologética, formas de lidar melhor com as questões que surgem, respostas que ainda não tinha, enfim.
    Descobri que cada um escolhe a "verdade" que lhe convém e hereticamente, conduz seu rebanho...
    Não existe mesmo, o link pra Deus? :(

     

Postar um comentário

<< Home