10.8.07

Da fé

Todos têm fé, porque fé é o ato pessoal mais íntimo e completo do espírito humano. Cabe à fé ultrapassar todas as áreas da vida, ao mesmo tempo em que se faz sentir em cada uma delas. Atinge, pois, a pessoa como um todo, já que fé só pode ser um ato da pessoa inteira, não apenas de um setor particular do ser humano.

A fé, no entanto, tem dois lados: um subjetivo e um objetivo. O subjetivo é “a fé pela qual se crê”, fides qua creditur, que provém do íntimo da pessoa, sendo sua preocupação última. Já o aspecto objetivo é “a fé que é crida”, fides quae creditur, ou seja, aquilo para o qual se dirige o ato de fé, expresso em símbolos do divino, ou do sagrado. Na verdade, estamos identificando o elemento incondicional e o elemento simbólico, ambos característicos da fé.

Um exemplo disto é a palavra “Deus”. Ela é a representação simbólica do referente possível de Deus. O Deus entre aspas — símbolo — aponta para o Deus sem aspas — preocupação última de cada pessoa.

Mais do que tudo, “fé é estar possuído por aquilo que nos toca incondicionalmente”, como disse Paul Tillich. Afinal, embora não consigamos definir bem aquilo que nos possui de um outro jeito além da linguagem simbólica, sabemos que dentro de nós há algo que clama por eternidade, querendo atingir uma realidade sem limites, sem condições, para além desta na qual nos encontramos.

Marcadores:

8 Comentário(s):

  • At 10 de agosto de 2007 21:06, Blogger Alysson Amorim said…

    Valeu, amigão.

    Sempre nos enriquecendo com suas didáticas pílulas, incansáveis na tarefa de falar daquilo que "nos toca incondicionalmente".

    Abração.

     
  • At 13 de agosto de 2007 18:03, Blogger Marlene Maravilha said…

    Realmente há muitas maneiras de falar da fé. A minha fé, por exemplo, parece que consigo toca-la, enxerga-la e, se preciso for, ali estou a pega-la. Não dá para entender, é subjetiva, mas para mim, torna-se objetiva.
    Continuo viagem!
    beijos meu querido irmão e que Deus te abençoe!

     
  • At 13 de agosto de 2007 18:39, Anonymous Edson Marques said…

    Felipe,



    Eu creio na Fé.


    Estive relendo hoje teu comentário deixado em 05/08, quando, nas tuas palavras, eu "ressuscitei o pai por causa da Mãe"...

    Brilhante!


    Abraços, flores, estrelas...

     
  • At 13 de agosto de 2007 19:25, Blogger elsa nyny said…

    Felipinho!!!

    Comparo sempre a fé com o amor...porque ambos estão juntinhos e não se podem separar... um não se vê...só se sente e a outra igualmente...

    entretanto...
    Voltei!!!!
    O meu coração espera lá por ti!!!

    Beijinhos!!!

     
  • At 15 de agosto de 2007 19:43, Blogger Edemir Antunes Filho said…

    Irmão Felipe,
    graça, paz e bem!

    Gostei das reflexões apresentadas em seu blog. Continuo andando com fé... ela não costuma faiá.

    Felicidades!

     
  • At 16 de agosto de 2007 10:19, Blogger Edemir Antunes Filho said…

    Muito obrigado pelas sinceras e delicadas palavras.

    Eu faço doutorado em Ciências da Religião na UMESP, na área de Ciências Sociais. Possivelmente nos encontraremos pelas bibliotecas, corredores, ruas e vielas da "Metô".

    Se não lhe causar constrangimento, eu mencionarei o seu blog na minha "página blogal" (neologismos estão na moda).

    Um forte abraço!

     
  • At 17 de agosto de 2007 22:30, Blogger Paulo Silvano said…

    Caro Felipe,
    Passo sempre por aqui,até roubei um comentário seu la no Ed René para postar no meu blog.

    Um abraço,
    Paulo Silvano

     
  • At 18 de agosto de 2007 12:27, Blogger Janete Cardoso said…

    Amigo!
    Por onde vc anda?
    Não gosto nem um pouco, quando vc some...
    beijo!

     

Postar um comentário

<< Home