3.8.09

Para não dizer em outras palavras

«Se colocarmos finalmente de lado o rigorismo na leitura da Sagrada Escritura, poderão ser reconhecidos como genuína história da salvação tantos aspectos do mundo moderno e da nossa contemporaneidade que, para uma mente rigorosamente ‹ortodoxa›, parecem ser puros fenômenos de abandono e distanciamento da religião.»

(Gianni Vattimo. Depois da Cristandade, p. 62s.)

Marcadores: ,

13 Comentário(s):

  • At 4 de agosto de 2009 08:34, Blogger Janete Cardoso said…

    É... um distanciamento da religião, talvez aproxime as pessoas de Deus.

    :*

     
  • At 4 de agosto de 2009 08:34, Blogger Janete Cardoso said…

    É... um distanciamento da religião, talvez aproxime as pessoas de Deus.

    :*

     
  • At 4 de agosto de 2009 12:56, Blogger Priscilla said…

    Cara, Felipe, que viagem agora... Sideral!!! Acabei de descobrir que você é você. Tô chocada de como o mundo é pequeno.
    Sou a Priscilla, fiz a matéria da Leila contigo esse semestre e daí descubro que você é colaborador no blog do Pavarine.
    Enfim, é isso... volto aqui mais vezes depois. E menos chocada.

    Abraços.

    http://beadisciple.wordpress.com

     
  • At 4 de agosto de 2009 14:55, Blogger Rubinho Osório said…

    É, cada vez mais se reforça a sensação que Deus e religião são antagônicos...

     
  • At 4 de agosto de 2009 18:16, Blogger Roger said…

    O engraçado (apesar de não ser motivo de riso) é que a própria Bíblia bate forte nessa tecla, do que seja a verdadeira religião.

     
  • At 4 de agosto de 2009 19:07, Blogger Cleinton Gael said…

    olá, grande fanuel.
    não concordo que religião e Deus sejam coisas antagônicas, como defende um dos comentadores do texto que você aqui citou.
    se é para pegar a Bíblia e ler a sério, entendendo-a como livro sagrado, fica fácil ler que a religião é o próprio Jesus Cristo.
    agora, religião e "práticas ditas religiosas" são coisas diferentes, sim.
    outro dia encontrei um texto que apregoava "religiosidade sem ritual".
    poxa, religião sem ritual eu não quero! a vida é ritualística, poxa!a vida sem ritual é muito sem graça, entendo eu.
    as pessoas parece que confundem os conceitos! ah, deixa isso pra lá.
    abraço grande, amigo.

    liberdade, beleza e Graça...
    http://cleintongael.blogspot.com

     
  • At 5 de agosto de 2009 07:17, Blogger Janete Cardoso said…

    Por isso Deus ainda procura adoradores que o façam em espírito e em verdade, na liberdade do Espírito Santo.
    Os rituais me incomodam.

     
  • At 5 de agosto de 2009 14:13, Blogger Cleinton Gael said…

    cozinhar é um ritual...
    comer é um ritual...
    fazer amor é um ritual...
    bem, deixa isso pra lá...

     
  • At 5 de agosto de 2009 21:31, Blogger Janete Cardoso said…

    Só pra quem não tem imaginação! hahaah
    ah, deixe isso pra lá! :P

     
  • At 5 de agosto de 2009 21:37, Blogger Cleinton Gael said…

    é, Janete, pode ser que eu não tenha imaginação mesmo.
    abraço grande.

    liberdade, beleza e Graça...
    http://cleintongael.blogspot.com

     
  • At 6 de agosto de 2009 10:29, Blogger Tamara Queiroz said…

    Ao terminar de ler, o primeiro pensamento:

    Enquanto vivo, Buda era anti-religião. Depois que faleceu, os seus (in)discípulos "fundaram" uma religião, tendo-o como reformador.
    Como assim? [daquele jeito bem tamaresco]


    O segundo pensamento foi mais uma lembrança... do filme Life of Brian, do Monty Python. "Sátira do judeu Brian que se torna um messias importante para as pessoas devido a situações completamente absurdas".


    Fanuel, viva de flores para você!!!

     
  • At 17 de agosto de 2009 18:21, Blogger Papoila Sonhadora said…

    Verdade.
    Um gesto de Amizade.

    P.S. Espero que esteja td bem consigo.

    Sandra Ferreira

     
  • At 26 de agosto de 2009 11:46, Blogger Gustavo Nagel said…

    Felipe,

    Seria possível você relacionar, rapidamente, quais sãos os aspectos mencionados pelo Vattimo?

    Grato.
    Nagel

     

Postar um comentário

<< Home