1.7.08

Água e H2O

A teoria da evolução por seleção natural completou hoje 150 anos e eu me lembro do meu concílio para ordenação ao ministério pastoral a pouco mais de um ano. Uma das primeiras perguntas que recebi foi: “Você acredita que é uma criação de Deus?” Minha resposta não poderia ser outra: “Sim”. Até aí, poderia não passar de mais um candidato a assegurar um lugar divino nas discussões científicas sobre a origem das coisas, como inúmeros teólogos e cientistas conservadores o fazem. O problema é que havia na minha mesa uma Bíblia e um copo d’água. Não hesitei em matar a minha sede antes de dizer o seguinte: “Acredito como acredito neste líquido que tomei”.

Ciência e religião se complementam. Através da ciência, a gente conhece do que a água é formada. Como se sabe, a teoria científica mais aceita para isto é a tão conhecida fórmula “H2O”. Só que existe uma sensação dentro de nós que deseja, de modo imperioso, ingerir esta bebida descrita com este código científico estranho. Quando estou com sede, bebo água, não fico refletindo sobre a substância que compõe este líquido essencial à vida. Portanto, o papel da religião é ser água, não H2O.

Teoria da evolução é uma competente maneira científica e técnica de explicar o princípio de tudo o que existe. Já os relatos bíblicos da criação revelam a nossa necessidade enquanto seres humanos de acreditar que não somos obra do acaso. Nossa sede aqui é por algo que não nos faça sentir sozinhos numa terra-de-ninguém.

Os religiosos declarados, como eu, podem matar sua sede na crença de um Deus/Poder Superior que criou o universo fortuitamente, e, então, falou: “Cresçam e multipliquem!” Os religiosos não-declarados — porque todo mundo tem religião — podem matar sua sede acreditando que nunca estiveram e nem estarão desamparados no mundo, o que significa descobrir outras formas de encontrar sentido na vida, fora das fontes apresentadas pelas instituições que pregam fé.

Enfim, sedentos sempre seremos, mas matamos a sede de maneira diferente. Tenho dificuldade em acreditar que uma teoria mate a sede de alguém, do mesmo modo, que Gênesis seja um artigo acadêmico de cosmogonia capaz de descrever em detalhes o surgimento de tudo o que há.

Marcadores: ,

14 Comentário(s):

  • At 1 de julho de 2008 23:55, OpenID espectivas said…

    Bem bolado!

     
  • At 2 de julho de 2008 01:37, Blogger Mentoria Espiritual said…

    Olá Felipe... estou de volta. Espero que não tenha se esquecido de mim. Aparece lá no Mentoria. Tem uma surpresa por lá.

     
  • At 2 de julho de 2008 06:43, Blogger Janete Cardoso said…

    Menino, que coisa linda esse texto!
    E me fez pensar com alegria, que mesmo aquele que é analfabeto e não faz a menor idéia do que seja “H2O”, tem acesso à água!
    E o melhor, fonte de águas vivas, poderá brotar nele!
    Beijos, amado!

     
  • At 2 de julho de 2008 07:12, Blogger Janete Cardoso said…

    Ih, de junho pra cá, não tinha comentado você... perdoa essa amiga relapsa!
    beijo

     
  • At 2 de julho de 2008 09:10, Blogger Alysson Amorim said…

    O mais extraordinário é que se os modelos científicos que explicam a origem do Universo excluem-se mutuamente, as narrativas religiosas que tem a origem das coisas como objeto compartilham de um núcleo comum (são menos excludentes que complementárias) - seja o Deus que cria homem e mulher a sua imagem e semelhança, seja o Deus que se desmembra no ato da criação, dando origem a criaturas que carregam consigo a essência do Criador. Talvez isso diga algo sobre a natureza da religião e da ciência.

     
  • At 2 de julho de 2008 09:12, Blogger Alysson Amorim said…

    Opa!

    Não poderia faltar o

    Grande Abraço.

     
  • At 2 de julho de 2008 13:45, Blogger Mentoria Espiritual said…

    Olá Felipe... obrigado pela recepção calorosa. É um privilégio constar na relação de blogs indicados por vc. Isto é verdade, Jesus é muito maior e muito melhor do que qualquer instituição que tente representá-lo.
    Fica com Deus

     
  • At 3 de julho de 2008 15:45, Blogger Exemplo AVERA said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 3 de julho de 2008 15:53, Blogger Exemplo AVERA said…

    Salve Felipe!
    Faz tempo q não passo aqui nem tenho tido tempo pra atualizar meu blog tbm por causa dos compromissos pessoais e do grupo.
    O Texto é excelente. A Verdade é sempre mais simples, assimcomo sede e água são mais simples q o tal do H2O.
    Vc usou uma frase interessante:"...todo mundo tem religião". O pior é que é verdade né, pode ser até o Corinthians, mas todo mundo está "ligado" a algum grupo específico.
    Acho q o mais rebelde de todos nós humanos foi o carpinteiro de nazaré. Ele era de ninguén e de todo mundo, e todo mundo era Dele tbm rsrssr.

    Abração mano

    Valmir

     
  • At 4 de julho de 2008 12:05, Anonymous Edson Marques said…

    Felipe,


    Belíssimo ensaio!


    Cada um de nós mata a sede de forma diferente, mas só Deus dá vida à nossa própria sede.


    De forma única!




    Abraços, flores, estrelas..

     
  • At 4 de julho de 2008 17:49, Blogger olobo said…

    O papel da religião é ser água... Gostei muito desta noção.

    Na realidade a H20 pura, se não tiver outros consituintes, o nosso organismo não consegue assimilar e não sobrevivemos...A água é bem mais que H20 meu amigo e a fé é bem mais que água porque a água não nos acolhe nem nos recebe quando estamos tristes e a fé sim.

     
  • At 6 de julho de 2008 01:19, Blogger Marlene Maravilha said…

    "Sedentos sempre seremos..." Por certo! Por certo!
    beijos e um lindo domingo.

     
  • At 6 de julho de 2008 02:23, Blogger Deepak Gopi said…

    :)Bom dia

     
  • At 23 de julho de 2008 01:06, Blogger Mauricio Abreu de Carvalho said…

    Olá Fanuel

    Uma beleza de texto. O relato de Gênesis é de uma riqueza e sabedoria muito maior do que a explicação científica do Big Bang.
    Qualquer criança em qualquer lugar consegue entender a grandeza de Deus através dos sete dias da criação.

    Um abração

     

Postar um comentário

<< Home