6.12.07

Solo Sagrado

Há um pedaço do chão da segunda maior cidade do mundo que está repleto de sacralidade. Construído em uma área outrora devastada, o Solo Sagrado de Guarapiranga é um dos lugares mais inusitados da grande São Paulo. Muito verde cercado por água, a sensação é de que se está num paraíso. Aliás, a missão dada por Deus aos seres humanos é de “construir o Reino dos Céus na Terra”, já dizia Meishu-Sama, talvez o fundador de religião mais ecológico de todos os tempos.

O lugar é sagrado porque reverencia o cuidado com a primeira revelação do Criador para fora de si, a natureza. Busca-se incentivar o uso de alimentos sem agrotóxicos, a não-agressão ao meio ambiente, bem como a reposição e a preservação de áreas verdes. Ecologia? Mais que isso. Fazer muito com pouco. O simples fato de existir um reduto de resistência à crescente poluição da metrópole já é motivo para se identificar uma das mais sagradas e necessárias mensagens inter-religiosas: mais ações que discursos.

Essa práxis simples, essencial e admirável é recheada por uma espiritualidade de reverência aos que já não estão mais entre nós. Aos antepassados não é relegada a amnésia dos vivos, pelo contrário, eles são lembrados o tempo todo. A Deus está dedicada uma grande torre, que, a propósito, está a apenas um metro do maior prédio da capital paulista, mas não é ali que ele mora. Ele está em todos os lugares, acreditam. O altar é mais por causa das pessoas do que dele.

Eis o segredo: o que aquela terra tem de sagrada é mais em virtude de quem cultua do que de quem é cultuado. Em outras palavras, solos sagrados fazem muito bem a homens e mulheres, principalmente quando lá se tem muito verde, muita água e muita gente com a consciência de que se nós não cuidarmos da natureza não vai adiantar sonhar com paraíso para os nossos netos e netas.

Marcadores: ,

12 Comentário(s):

  • At 7 de dezembro de 2007 09:07, Blogger Alysson Amorim said…

    Amigo,

    Um mar verde cravado no tecido cinza e barulhento de São Paulo é sem dúvidas um corajoso ato de resistência. É o que penso - a as realidades são bem diferentes - sobre o Parque Municipal em Belo Horizonte. Estamos na movimentada Av. Afonso Pena e não precisamos de muitos segundos para atravessar o portão e adentrar um paraíso verde: com macacos nas árvores e peixes nas águas. Ontem mesmo, esperando um evento que iria acontecer na sede da Prefeitura (ali, na Afonso Pena), entrei no Parque e ali fiquei alguns minutos, aos sons de pássaros e as letras de Faulkner. Eis o Reino de Deus.

    Abração.

     
  • At 8 de dezembro de 2007 23:04, Blogger Marlene Maravilha said…

    Que lindo Felipe!Fiquei a imaginar.
    Gostaria de conhecer este lugar! Nao existe nada mais lindo do que a natureza, que prova diariamente a existencia de Deus!
    beijos e eu já estava com saudades.

     
  • At 9 de dezembro de 2007 12:49, Blogger Edson Marques said…

    Já estive no Solo Sagrado, de Guarapiranga. E tenho amigos (no Guarujá) que costumam freqüentar esse lugar maravilhoso!

    Depois do teu comentário de hoje, fiz alterações no post, e citei teu nome (se não se importa).

    Abraços, flores, estrelas..

     
  • At 9 de dezembro de 2007 15:43, Blogger DE-PROPOSITO said…

    Construído em uma área outrora devastada,
    -------------
    Olá.
    Suponho ser um lugar paradisíaco, construído pelo homem, através de movimentações de terras, etc. Poderá se assemelhar à construção de um aeroporto, embora cada qual com a sua finalidade, mas ambos frutos da imaginação do ser humano. E nós, seres ditos evoluídos, temos necessidade de tecnologia, para gáudio dos nossos sentidos.
    Certamente que os naturais da Amazonia, não tem necessidade dos campos cultivados por poderosas máquinas, e sentem-se felizes com o que a natureza lhes vai oferecendo.
    ..........
    Aproximando-se a quadra do Natal, desejo-lhe FELIZ NATAL com muita Paz.
    Um abraço.
    Manuel

     
  • At 9 de dezembro de 2007 23:14, Blogger poeta_silente said…

    A paz de Jesus esteja contigo e com os teus, Felipe!
    Que encanto chegar aqui e ver tantas palavras dirigidas ao nosso Deus. Que benção poder participar deste cantinho, quando é tão difícil termos aqueles que "proclamam com desassombro a palavra de Deus, como é o dever!"
    Felipe. Não fiquei muito tempo. Pois estou cansadinha. Mas tenho uma importante colocação para ti, que nem se refere a este post, e sim ao do "Oratório".
    Sabes onde é meu "oratório"? Quando me deito, à noite, pego minha Bíblia e faço minhas orações. Na quietude da noite. Pois, ali, naquele momento, as orações se mesclam com a Palavra, e meu encontro com o Pai se faz presente. Eu falo... Ele responde. Ele fala... eu escuto... embora não entenda, na maior parte das vezes, a razão ou o porquê. Meu coração se aquieta e concorda... na certeza de que ELE está preparando o Seu plano de amor para minha vida.
    Meu oratório é cada momento que dedico à Deus. As vezes, ao estar lavando louças, ou cozinhando, uma música de louvor se faz ouvir, vinda do meu PC - Canção Nova FM -
    e fico num "papo serrado" com Jesus. Um momento que estamos sozinhos...
    Muitos precisam de oratórios, assim como templos... Jesus frequentava o Templo. E na casa de Deus nos sentimos confortados.Estamos perto dELE. Fomos ali para nos dedicarmos à ELE. Assim, também, se tivermos um Oratório em casa - estaremos diante de um lugar "de oração".
    Mas, podemos fazer um Oratório onde estivermos, pois? Na cozinha, ao deitar, ao tomarmos banho...
    Como nosso Deus fica feliz em nos ver O procurando em situações tão simples... e como, na maior parte das vezes, é exatamente nestas situações que ELE se manifesta!
    Deus te abençoe.
    Em tudo ELE tem Seu propósito!
    Miriam

     
  • At 9 de dezembro de 2007 23:53, Blogger [xmitzx] said…

    o mais ruim de tudo isso não é nos destruirmos tudo agora, mas é não pensar nos nossos filhos o que deixaremos de herança para eles alem do dinheiro que esse nome foi vinculado. eu prefiro manter uma coisa que não me agride e faz bem do que retira-la e fazer mal a mim no futuro.

    [xmiitzx] http://xmitzx.blogspot.com/

     
  • At 10 de dezembro de 2007 13:45, Blogger Papoila Sonhadora said…

    Cobre-se a Terra de um manto de flores dispersas, em cada flor um amor, uma cor, uma dor... O mundo nada mais e do que o verde da esperança, da renovaçao dos ideais, do fim da materialidade... Onde ninguem valoriza, o humus frio desenvolve o mais belo musgo, um vale de fetos...
    A Natureza e a disposiçao dos sentimentos do Homem. Surgem as 4 estaçoes do ano para que nada seja monotono e triste, ha vida no Outono e cor no Inverno, assim como ha dor na Primavera e frio no Verao, tudo depende do sonho dos deuses ou dos humanos...
    Doce bj de encanto,
    Papoila Sonhadora,

     
  • At 10 de dezembro de 2007 15:29, Blogger Pablo Ramada said…

    Você me disse uma vez que seus textos quando "curtos" ficava como que faltando algo, não achei, nesse aqui.

    Te peguei!!!

    rsrsrs

     
  • At 10 de dezembro de 2007 21:50, Blogger Edson Marques said…

    Felipe,


    no post sobre o Livro de Jó, trouxe teus comentários para a página principal.


    Obrigado pela permissão.



    Abraços, flores, estrelas..

     
  • At 10 de dezembro de 2007 21:50, Blogger Edson Marques said…

    Felipe,


    no post sobre o Livro de Jó, trouxe teus comentários para a página principal.


    Obrigado pela permissão.



    Abraços, flores, estrelas..

     
  • At 12 de dezembro de 2007 18:43, Blogger Felipe Fanuel said…

    Saúdo com alegria os freqüentadores de primeira vez: Miriam e Xmiitzx. Obrigado pelos comentários!

    ...

    Gente como Manuel e Papoila demoram a passar, mas deixam sempre palavras muito especiais quando passam. Saudações!

    ...
    Alysson, Marlene e Edson considero habitantes permanentes desta minha casa em cujos cantos há sempre um espaço aberto de diálogo, o qual tem se mostrado bastante frutífero. Estou sempre no blog de vocês, falando aquelas bobagens... E vocês acreditam tanto que me lêem aqui também. O Pablo eu descobri a pouco tempo, mas já tenho motivos para dizer que ando pisando em solos sagrados com ele nesta blogsfera. A vocês minha gratidão pela paciência e vontade de refletir!

     
  • At 15 de janeiro de 2009 16:23, Blogger Roger said…

    quando escrevi minha disertação de mestrado abordei o tem sustentabilidade.
    mas não pude me aprofundar como queria.
    Minha intenção era sondar na pesquisa de campo até que ponto uma consciência e ética cristãs influencia no consumo de produtos ecológicos.
    Há muito que ser pesquisado!

     

Postar um comentário

<< Home