23.2.07

Sem guarda-chuva


A chuva cai sobre o justo e sobre o injusto. Quem mais se molha é o justo, porque o injusto está sob o guarda-chuva do justo... Por favor, tirem logo esses guarda-chuvas! Afinal, justos e injustos foram feitos para se molharem.

Marcadores:

10 Comentário(s):

  • At 23 de fevereiro de 2007 18:15, Blogger DE PROPOSITO said…

    Palavras complexas e pertinentes. Afinal de contas o que é o justo e o injusto.. Lembra-me que a inquisição queimava pessoas. Esses eram os injustos. Será que seriam?
    Um abraço.
    Manuel

     
  • At 23 de fevereiro de 2007 19:22, Blogger Alysson Amorim said…

    Grande Fanuel.

    Guarda-chuva: maldita invenção, tão antiga quanto o próprio homem.

    Sua postagem me lembrou um livro e um filme.

    O livro em questão é uma obra-prima da literatura americana, "O sol é para todos" de Harper Lee. Um belíssimo tratado sobre a tolerância. Um convite parecido com o seu: deixemos de lado os guarda-chuvas. Melhor é convidar todos a cantar e dançar na chuva.

    Aí entra o filme. Me lembrou aquela cena clássica do cinema, do Gene Kelly cantando e dançando na chuva em "Singin' in the Rain", dispensando alegremente o guarda-chuva.

    Queimemos os guarda-chuvas! A chuva é para todos.

    Ótimo post. Em poucas linhas, uma incrível revelação.

    Abs.

     
  • At 23 de fevereiro de 2007 22:22, Blogger Tamara said…

    Molhados faz-se justos e injustos.

     
  • At 24 de fevereiro de 2007 01:24, Blogger Exemplo AVERA said…

    Este comentário foi removido pelo autor.

     
  • At 24 de fevereiro de 2007 01:31, Anonymous Valmir Nasimento said…

    O ser humano já não experimenta os benefício de ser humano faz um tempo né (rsrsrs) Tomar uma boa chuva é um deles!
    Ótimo post

    Um abraço

     
  • At 24 de fevereiro de 2007 20:35, Blogger Felipe Fanuel said…

    Caro Manuel,
    Com certeza o difícil nessa história toda é saber quem é justo e injusto, razão pela qual creio que, sem guarda-chuvas, não nos preocuparemos com este tipo de julgamento.
    Forte abraço.


    Alysson, amigão,
    Que comentário! Essa correlação entre o livro e o filme com a postagem mostra que o mundo das idéias ganha vida cada vez que nos envolvemos existencialmente com algo que nos incomoda. Certamente vc já anda perseguindo guarda-chuvas muito antes destas linhas serem publicadas.
    Obrigado pelas suas palavras que, a propósito, valem como um novo post.
    Abraço.


    Querida Tamara,
    Esse é ponto! A gente já se molha, independente de quem sejamos. Se molhar é assumir que ninguém é justo nem injusto o suficiente para querer fugir da chuva.
    Beijos.


    Prezado Valmir,
    Concordo. É preciso experimentar o que de mais humano nós temos.
    Abração.

    *********
    Agradeço a todos pelos gentis comentários!!!

     
  • At 25 de fevereiro de 2007 18:07, Blogger Marlene Maravilha said…

    Pois é, Jesus veio para todos!
    A Ele toda a honra, mas com certeza, estamos todos molhados pela chuva, justos e injustos.E como saber?
    beijos

     
  • At 25 de fevereiro de 2007 22:12, Blogger Felipe Fanuel said…

    Oi, Marlene!
    Sim, não dá pra saber... Afinal, somos todos farinhas do mesmo saco, conforme Rm 3,23.

    Beijos pra vc!

     
  • At 26 de fevereiro de 2007 18:56, Blogger Dara Martins said…

    Muito, muito bom...
    É isso mesmo...
    "...tirem esses guarda-chuvas!"

    Boa semana,
    Beijo - Dara :)

     
  • At 26 de fevereiro de 2007 21:47, Blogger Felipe Fanuel said…

    Olá, Dara!

    Obrigado pelo comentário.

    Seja bem-vinda! :-)

     

Postar um comentário

<< Home